domingo, julho 22, 2012

Na Afurada estive.







Passando ao largo do grande esforço que Rui Rio e as forças do capital da diversão estão a fazer em paradoxal coligação para que o Porto histórico se transforme num grande parque temático, outro case-study é a Afurada, mas aqui com melhores resultados. A Afurada é a mais pequena das freguesias do concelho de Gaia. É uma aldeia piscatória a que o Luis Filipe Menezes (LFM) quis dar uma lavadela de cara mas onde as pessoas que moram em casa própria - não bairro social - querem ali continuar, mais seus filhos e netos, e continuam a ir ao mar, beber no tasco e por a roupa a secar ali em frente. Portanto não há espaço para nova restauração nem espaços tipicos gourmet nem lojas brunch. LFM, nada feito! A força da Afurada é tanta que a marina que lhe enfiaram ali em frente já é administrativamente Canidelo! Um metros antes da dita marina ainda se cose as redes no barco. A Afurada resiste enquanto lhe destroem o postal em frente, implodindo o Aleixo para construir um qualquer Lego fechado similar aos que guardam a ponte da Arrábida, pior o que está poente por negar a arriba, não ter qualquer jogo de volumes, cor ou originalidade, e ter sido construido até depois do primeiro, o "semi-lisboeta" que está a nascente. Atrás de mim virá o condomínio que menos feio de mim fará...

2 Comments:

Blogger O Próprio said...

Podes esquecer o convite para o café. Assinado : um morador do lego semi-lisboeta a nascente. Ora essa!

5:12 da tarde  
Blogger william said...

E não é? Claro que ser teu vizinho compensaria tudo!

6:35 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home